Salve, Dida, o maior de todos os tempos

Foto: acervo do Cruzeiro E. C.

Foto: acervo do Cruzeiro E. C.

Poucos partiram deixando tanta saudade. E olha que, depois dele, houve quem o sucedesse com primazia. Aliás, houve, não, há! Fábio é digno da camisa um de Dida, assim como Gomes também o foi.

Mas Dida é Dida.

Sabe aquela coisa de dizer que Maradona ganhou a Copa de 86 para a Argentina, Romário a de 94 para o Brasil? Pois é, Dida também ganhou Copas para o Cruzeiro.

É claro que o faro matador de Marcelo Ramos foi fundamental em 1996. Assim como o petardo de Elivélton o foi em 1997. Mas só houve Marcelo e Elivélton porque antes houve São Dida. O cruzeirense sabe disso.

Assim como sabe que Dida nunca foi afeito a juras de amor, a certos marketings próprios do futebol atual, como beijar escudo da camisa ou fazer com as mãos símbolo de torcida organizada. É o baiano mais amineirado que existe.

O que poucos sabem é que, fora do campo, no convívio diário, Dida repete a performance em campo. A genialidade debaixo das traves é igualmente proporcional ao ser humano destacado que é no dia-a-dia.

Foi de Roberto Gaúcho a melhor definição que ouvi sobre Dida. Me disse recentemente o Talismã: “um cara que, não bastando ser um goleirão, é humilde, amigo e leal às origens”.

E não há dúvida de que realmente ele é tudo isso. Porque ainda nem chegamos a meio-dia do dia do aniversário dele e, nas redes sociais, já se multiplicam as homenagens. Os ídolos cruzeirenses Nonato, Alex e Marcelo Ramos já saudaram o amigo pelos 42 anos.

O Blog se une às palavras desse trio tão seleto. E deseja vida longa àquele que, mesmo diante da forte concorrência de Raul e Fábio, jamais viu o posto de maior de todos os tempos da história do Cruzeiro ameaçado.

4 Responses to “Salve, Dida, o maior de todos os tempos”

  1. Fabrício disse:

    Quem viveu essa época adere a cada uma das palavras do seu texto. Mais uma vez, brilhante! Parabéns!

  2. Melhor jogador da libertadores em 97. Se no mundial contra o Borussia fosse para os pênaltis adivinha quem era campeão?

  3. rogerio coelho disse:

    Parabéns felicidades . DIDA foi o melhor do CRUZEIRO do RAUL Plasmann .

  4. walter machado disse:

    belíssimo e justíssimo texto….todos os elogios procedem…. apenas uma ressalva qto á última frase….há controvérsias….rsrs. grande abraço azul 5 estrelas

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *