A curiosa conquista da Recopa de 1998 em 1999. E a falta de fair play dos argentinos

No jogo de ida, Müller foi o destaque com um gol marcado e uma assistência (Foto: Osmar Ladeia)

No jogo de ida, Müller foi o destaque com um gol marcado e uma assistência (Foto: Osmar Ladeia)

Nenhuma outra década da história do Cruzeiro foi tão vitoriosa como a de 1990. Foram 17 títulos no total. Uma insolência!

Os mais celebrados do período são o bicampeonato da Supercopa, em 1991 e 92; a Copa do Brasil de 1996; e a Libertadores de 1997.

Em seguida vêm os Mineiros de 1990, com o histórico gol de cabeça de Careca, e 1997, com recorde definitivo de público no Mineirão, além da Copa do Brasil de 1993.

No terceiro escalão, aparecem as conquistas da Copa Master de 95, Copa Ouro do mesmo ano, Copa Centro-Oeste de 99 e Recopa Sulamericana de 98 – curiosamente o último título da década de 90.

BLOG DO OLIVIERI NO FACEBOOK

Curiosamente porque, por falta de data no calendário em 1998, a disputa envolvendo o campeão da Libertadores de 1997, Cruzeiro, e o campeão da Supercopa de 1997, River Plate, aconteceu somente no segundo semestre de 1999.

No primeiro jogo, em Belo Horizonte, 2×0 para o Maior de Minas. Para o jogo de volta, preocupados com o campeonato nacional, os Milionários mandaram a campo uma equipe mista.

Azar o deles, que viram o Cruzeiro passear em campo e fazer 3×0 com tranquilidade. Fim de jogo, título conquistado, mas, de repente, os refletores se apagaram e o sistema de irrigação começou a funcionar.

Nada de festa, nada de receber o troféu em campo. Os jogadores do Cruzeiro desceram então para o vestiário e lá aguardaram a chegada do representante da Conmebol com a taça.

Novamente, porém, foram surpreendidos com uma queda de energia. Eles, que haviam virado verdadeiros fregueses do Cruzeiro em finais de torneios sulamericanos, não queriam realmente que os atletas cruzeirenses recebessem o troféu pelo título.

Mas Marcelo Djian, capitão da equipe, resistiu e aguardou o restabelecimento da energia, para receber a taça de direito.

Foi a festa de título mais protelada da década de 90, mas Djian garante: “aconteceu”!

Super8OFICIAL

2 Responses to “A curiosa conquista da Recopa de 1998 em 1999. E a falta de fair play dos argentinos”

  1. Rossi disse:

    Voce só deixou de citar um outro título importante, que marcou o inicio de uma sequencia de goleadas humilhantes sobre o rival atletico, foi o Supercampenato Mineiro de 1999 , quando Valdo fez chover na final contra o atletico naquele 5 x 1 histórico.

  2. MATHEUS disse:

    voces so se esqueceram que a década de 90 começou em 1991 e termina em 2000.
    por isso, retiraria o mineiro de 90, e colocaria a copa do brasil de 2000 como a conquista mais sofrida da decada de 90.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *