Posts Under ‘Chacota com o rival’ Category

PQP

Puta que pariu… Não foram poucas as vezes que recorremos, neste ano, ao palavrão para exprimir nossa raiva, indignação e inconformismo com os rumos dados pela diretoria ao Cruzeiro. A cada venda sem reposição, um “puta que pariu”; no fiasco da eliminação da Libertadores, outro “puta que pariu”; na demissão de um campeão para chegada… Continue lendo →

O livro do 6 x 1

De fazer inveja ao Vaticano

(O blog está no Facebook  e no Twitter) No dia 13 de agosto de 1997, até as estruturas do Mineirão balançaram em reverência a Dida, pela defesa milagrosa que fez pouco antes do gol de Elivélton, na decisão da Libertadores. Em 9 de julho de 2000, até São Paulo se curvou ao voo de André para interceptar… Continue lendo →

Cruzeiro x “time do papa” coloca futebol e fé frente a frente

Um fenômeno curioso que aconteceu no Brasil se repetiu na Argentina. Aqui, o desconhecido “Mineiro” virou “time do Ronaldinho”. Lá, o San Lorenzo, um grande sem grife, tornou-se afamado por ser o “time do papa”. Dois claros exemplos em que os ídolos são maiores do que as instituições a que servem ou torcem. Mas não… Continue lendo →

Felipão traiu a história e pode ter assinado a própria sentença de “morte”

Júlio César, Jefferson e Victor serão os goleiros do Brasil na Copa. Como esperado, Fábio, o goleiro mais regular do país há cinco anos, eleito duas vezes o melhor do Brasileirão, não vai. Thiago Silva, Dante, David Luiz e HENRIQUE foram os quatro zagueiros convocados por Felipão para o Mundial. Dedé, que ano passado resgatou… Continue lendo →

Kaiu, Anelka e o “kkkk” cruzeirense

Hoje tem jogo importante na Libertadores. O Cruzeiro (uai, ele não tinha sido eliminado? Vi tantos pateticanos dizendo isso…) enfrentará o paraguaio Cerro Portenho pelas oitavas de final do torneio. Teria assunto à rodo, portanto, para explorar no texto de hoje do blog: as ausências de Dagoberto e Ricardo Goulart, o retrospecto histórico do Cruzeiro… Continue lendo →

Cadê todo aquele discurso de crise e zoação para cima do Cruzeiro?

Eis que vive quem, para muitos, morto estava. Chupa! E não foi só a torcida rival que gozou antes da hora com o apuro cruzeirense na Libertadores. Torcedores de vários times embarcaram na onda de gritar “eliminado” para a Raposa. Até os do minúsculo Boa Esporte quiseram tirar casquinha, embora se saiba que, naquele dia,… Continue lendo →

Niginho: o carrasco dos clássicos

  Leonízio Fantoni, o Niginho, é reconhecido por muitos como o segundo maior jogador da história do Cruzeiro, ficando atrás apenas de Tostão. “O Carrasco dos Clássicos”, “O Tanque”, “Menino Metralha” e Fantoni III são apenas alguns dos apelidos dados ao craque Niginho durante sua fantástica carreira. Nascido em 12 de fevereiro de 1912, no… Continue lendo →

Mazembou com rajadas

Mazembou. E não digam que não foram avisados. Eu mesmo há meses vinha prevenindo: cuidado com a “mazembada”. Na verdade, na verdade, sequer “mazembada” foi. Foi “rajada” mesmo. Porque “mazembada” seria se o fiasco atleticano fosse igual ou menos vexatório do que o do Inter. Quem nas duas oportunidades esteve e em ambas sorriu garante: 2010… Continue lendo →

Cair, nunca. Humilhar, sempre

Naquela manhã de 4 de dezembro, havia um misto de confiança e receio no semblante do torcedor cruzeirense. Confiança porque o jogo derradeiro era contra o rival, o tão freguês rival. Receio porque, naquele segundo semestre de 2011, nada dava certo para a Raposa. Tudo parecia conspirar para o inédito rebaixamento. Esse misto de sentimentos… Continue lendo →